• Olga Durães

Boa sorte, má sorte


Essa imagem me lembrou uma história que a Swami D. nos contou logo no começo do curso de formação em meditação: um velho fazendeiro utilizava um cavalo velho para cultivar os seus campos. Um dia o cavalo fugiu para a floresta, e quando todos os vizinhos do fazendeiro o foram ver, solidários com a sua má sorte, ele respondeu: "Má sorte? Boa sorte? Quem sabe?" Uma semana depois o cavalo voltou das montanhas acompanhado por uma manada de cavalos selvagens e desta vez os vizinhos foram dar os parabéns pela boa sorte do fazendeiro ao que ele respondeu: "Boa sorte? Má sorte? Quem sabe?" Então, quando o filho do fazendeiro tentava domar um dos cavalos selvagens, caiu e partiu uma perna. Todos acharam isso má sorte. Menos o fazendeiro, que se limitou a dizer: "Má sorte? Boa sorte? Quem sabe?" Algumas semanas mais tarde o exército passou pela aldeia e recrutou todos os jovens saudáveis que lá havia. Quando eles viram o filho do fazendeiro com a perna partida, foram-se embora deixando-o ficar. Boa sorte ou má sorte? Quem sabe? Na minha vida essa história faz muito sentido porque foi em um momento assim de "má sorte" (quando eu quase perdi minha visão) que eu me despertei para mudar minha vida profissional e foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido. E vocês? Também têm alguma história de uma coisa aparentemente ruim que acabou sendo boa? Ou o contrário?

11 visualizações

© 2023 por Danielle Jones. Orgulhosamente criado com Wix.com